Ir para página principal

RENSE realiza a Abertura da Campanha da Fraternidade e disponibiliza cartilha sobre o tema

Muitos líderes de pastorais, religiosos e religiosas, padres e participantes das comunidades paroquiais marcaram presença na Paróquia São Francisco das Chagas, bairro Carlos Prates/BH, na tarde de sábado, 16 de março, para a Abertura da Campanha da Fraternidade na Região Episcopal Nossa Senhora da Esperança (RENSE). O momento conduzido por dom Joaquim Mol, bispo auxiliar para a RENSE, e Frei Adilson Corrêa, vigário episcopal, apresentou aspectos importantes a serem destacados no tema da Campanha da Fraternidade deste ano: Fraternidade e Políticas Públicas.


Diversas formas há de participar da vida política no cotidiano, seja por presença efetiva nos movimentos sociais ou em audiências públicas, além de tantas outras iniciativas de cidadania responsável. É nesse meio participativo que também se busca melhorias como políticas públicas, tema amplamente discutido na Campanha da Fraternidade cujo lema é “Serás libertado pelo direito e pela justiça”. (Is. 1,27)


Para falar com clareza e objetividade sobre um assunto tão importante e necessário, os participantes acolheram o assessor do encontro: Ismael Deyber, Graduado em Gestão Pública e Mestrando em Ciência Política pela UFMG. Durante este encontro, que foi articulado pela Pastoral Social e Política da RENSE, Ismael Deyber fez um breve histórico sobre a trajetória de evangelização através da Campanha da Fraternidade na Igreja do Brasil, que começou por iniciativas de padres das (Arqui)Dioceses dos Estados do Nordeste, na década de 1960. Pouco tempo depois essas iniciativas já faziam parte do calendário oficial da Igreja Católica, convidando todo o povo de Deus a refletir sobre as urgências da sociedade.
Segundo Ismael Deyber, é preciso reconhecer nosso protagonismo de leigos cristãos e ter participação atuante na vida pública. “A Campanha da Fraternidade nos oferece uma dimensão do Reino de justiça, de solidariedade, de amor e de paz. Enquanto cristãos precisamos ter uma atuação associada à nossa vida pública, como cidadãos que somos. Essa cidadania nos leva a reivindicar nossos direitos civis, políticos e sociais. É essa cidadania que nos oferece a perspectiva de usufruirmos de direitos alcançados ao longo do tempo, direitos que abarcam nosso cotidiano, como as políticas públicas.” Afirmou.


Dom Joaquim Mol, que acompanhou todo o encontro proposto para a abertura da Campanha da Fraternidade na RENSE, ressaltou a importância da presença de políticas públicas no ambiente em que cada pessoa vive, mesmo que haja dificuldades para que essas políticas aconteçam na prática. “Políticas Públicas não resolvem todos os nossos problemas sociais, mas resolvem boa parte deles.” Ao final do encontro cada participante levou para casa uma cartilha produzida pela Pastoral Social e Política da RENSE. Essa cartilha, que contém uma explicação simples e objetiva sobre o que são políticas públicas, teve a colaboração de dom Mol e Ismael Deyber nos conteúdos, em parceria com o Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política (VEASP) e Vicariato Episcopal para a Ação Pastoral (VEAP), ambos da Arquidiocese de BH.

(Informações/fotos: Pascom RENSE)