Ir para página principal

Belo Horizonte recebe de braços abertos padre português

No dia 20/06, a Arquidiocese de Belo Horizonte promoveu o lançamento do livro “A Leitura Infinita – A Bíblia e a sua Interpretação” do Padre português José Tolentino, no auditório da Puc Minas. Durante o evento, o autor realizou sessão de autógrafos e falou sobre a obra aos participantes. O evento contou também com a participação de Tom de Minas durante o momento musical e o de espiritualidade, contextualizando de forma lúdica, a palestra do Pe. Tolentino.

Em sua palestra, Pe. Tolentino toma como base principal para sua formação os textos bíblicos, que inspirou o lançamento da obra. Quanto ao título, o religioso se baseou em uma convicção rabínica que diz “para cada palavra há 49 interpretações, 7x7, ou seja o infinito”. Ele tem feito um estudo apaixonado da Bíblia, o que influenciou uma busca muito forte de conhecimento em seu trabalho, tendo a palavra de Deus como centro da vida. Para ele, a leitura da Bíblia deve ser degustada e acolhida nos corações. “Essa centralidade da Bíblia na vida dos cristãos se intensificou durante o Concílio Vaticano II. Nesses 50 anos, as pessoas ‘descobriram’ a Bíblia e elas não querem deixá-la. Há muito o que fazer e estudar e lê-la melhor, mas estamos num bom caminho para torná-la alimento para as comunidades”, destaca.

Para ele, as pessoas que desejam apenas buscar respostas nos textos bíblicos, nada mais é do que ter uma experiência superficial do próprio texto, ou seja, é perder a oportunidade de amar o texto, como se ama o corpo de Cristo. “Nos questionar apenas sobre o que o autor quis dizer no texto é uma maneira pobre de interpretar a Bíblia. O texto pode nos dizer muita coisa, principalmente aonde Deus quer que cheguemos, quando deixamos que a palavra faça seu caminho dentro de nós. A Bíblia só se torna palavra de Deus quando ela é lida, interpretada, usada, atravessada em nossos corações e não apenas juntando poeira na estante”, finalizou.

Participaram do evento também, os bispos auxiliares dom Joaquim Geovani Mol, Dom Luiz Fechio, dom João Justino, padre Áureo Nogueira - Vigário Episcopal Para Ação Social, Felipe Magalhães Francisco – Comitê de Publicação da Arquidiocese, Evelina Martins Tavares – Conselho Pastoral Arquidiocesano e Vicariato Episcopal para Ação Social e Política, Irmã Maria Alba Vega – Vicariato Episcopal para a Comunicação e Cultura e o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte dom Walmor Oliveira de Azevedo.

Em sua fala saudosista, Dom Walmor destacou sua meditação sobre o momento de espiritualidade, “Quando a gente abre mão de ser gente, a gente adoece, Quando abrimos mão de ser gente acaba não tendo muita graça, mesmo tendo muita coisa a fazer. A Igreja não pode perder a capacidade de entrar nos corações das pessoas, nas casas, nas vidas das pessoas. Que Deus nos dê a graça de não abrir mão de ser gente, de abraçar, de acolher, de amar, de compartilhar, de estar próximo dos outros, sobretudo de quem precisa”, finalizou.
 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Padre José Tolentino

Padre José Tolentino nasceu na Ilha da Madeira em Portugal e foi para África para fazer uma experiência em Angola que marcou e definiu a história da pessoa do padre. Estudou em Roma. Viveu um período como pesquisador em Nova Iorque e agora dirige a Universidade Católica portuguesa e tem uma comunidade de Lisboa aonde exerce sua função presbiteral. Padre Tolentino é autor de várias obras e muitas delas publicadas pelas Paulinas. Dentre elas: Pai Nosso que Estais na Terra, Nenhum Caminho Será Longo - Para uma Teologia da Amizade, O Tesouro Escondido - Para uma Busca Interior e o lançamento do evento “A Leitura Infinita – A Bíblia e a sua Interpretação. Todos estes livros, estiveram à disposição para serem adquiridos pelos participantes.

Por Liliane Martins

Fotos da palestra