Ir para página principal

EBRUC e Fórum Brasileiro de Cultura reúnem educação e cultura no ES

Por Janaína Gonçalves

Fotos: Camilla Moreira

                                             

Nesse sábado, 10 de setembro, aconteceu a abertura do III Encontro Brasileiro de Universitário Cristãos (EBRUC) e o III Fórum Brasileiro de Cultura, na cidade de Colatina/ES. O evento, realizado na Faculdade Castelo Branco, deu início com a chegada de participantes de vários estados brasileiros, sendo acolhidos pela equipe organizadora e por famílias que irão hospedar cada um deles.

Na parte da tarde, após o almoço, os participantes iniciaram as atividades do EBRUC com uma dinâmica e um momento de espiritualidade com o tema do evento: “Tecendo a Vida com Arte”. Ainda no período da tarde, houve a presença de autoridades da cidade e da Igreja Católica, como por exemplo, dom João Justino, Presidente Episcopal para a Educação e Cultura e bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte. Para ele, é importante este trabalho somando dois esforços, no setor universidades e setor cultura. “O trabalho da presença da Igreja na Universidade é de ser sinal da presença viva do evangelho, com os valores que o evangelho nos pede, que podem ser vividos em diálogo com o ambiente universitário. A cultura está ali na universidade, mas, está também em todo lugar. Onde está a pessoa humana ali também está a cultura humana.” Segundo ele, este evento é uma oportunidade para avaliar os trabalhos realizados. “Quando unimos educação e cultura, neste evento, nós estamos dando uma oportunidade aos membros que trabalham com a pastoral da educação e cultura de partilhar suas experiências, de fazer uma avaliação daquilo que estamos alcançando e de abrir perspectivas para o futuro do nosso trabalho. A presença expressiva de pessoas que vieram de diversas partes do Brasil é um sinal vivo de que o trabalho está acontecendo. Temos muitos frutos a colher.”

Ainda nesse momento, o prefeito da cidade de Colatina, Leonardo Deptulski, falou para o público sobre a importante escolha desta cidade para sediar o evento. “Temos um orgulho muito grande de ver a nossa pequena Colatina sediando este importante encontro. Parabenizo a CNBB e, em particular, a Pastoral Universitária, por esta notável iniciativa. Acho que a juventude precisa fazer o debate sobre o papel de cada um nesse mundo, pensar nossas atitudes com o próximo, com a natureza, no nosso dia-a-dia, ser um jovem cristão. Tenho certeza que na riqueza desse encontro das culturas brasileiras, este evento vai cumprir o seu papel.”

Dom Wladimir Lopes, bispo da Diocese de Colatina, também esteve presente e falou da alegria de receber um evento desta natureza. “A Igreja de Colatina recebe com muita alegria e entusiasmo este evento que reúne tantos jovens, tendo a cultura como foco. Com certeza sairemos muito enriquecidos daqui.”

Após a fala de cada uma das autoridades locais, os participantes assistiram uma apresentação de dança indígena, da tribo dos índios Tupiniquins, aldeia Irajá, localizada no Espírito Santo. Bruno Siqueira, coordenador do grupo de cultura dessa tribo, relatou como é difícil resgatar as origens indígenas na sociedade atual. Ele disse que há anos a cultura dos Tupiniquins foi passada de geração em geração, e lutam para que não sejam esquecidos. “Cada vez que um espaço é aberto para nós indígenas é uma grande realização. Ainda somos esquecidos por muitas pessoas na sociedade, e este evento nos ajuda a levar nossa cultura, fazer lembrar que persistimos na luta.”

O coordenador do III Fórum Brasileiro de Cultura, Josimar Azevedo, ressaltou que as experiências culturais que se encontram neste evento projetam uma abertura na Igreja Católica através da Pastoral da Cultura. “Nós estamos instalando aqui, neste evento, a Pastoral da Cultura. Ela consolida um processo feito e abre, ainda, as portas para um trabalho a se fazer.

O evento continua neste domingo, com programação especial para o Fórum Brasileiro de Cultura.